Os lugares mais perigosos do planeta – parte 1

Os  lugares mais perigosos  do planeta  – parte 1

Os  lugares mais perigosos  do planeta  – parte 1

 

Sim, a Terra por si só pode ser um lugar perigoso: terremotos, inundações e outros desastres naturais mataram mais de 980.000 pessoas na última década, e milhões ficaram feridos ou desabrigados. Sabemos que  entre  2017   a  2027   aguarda  eventos piores , mas devemos nos preocupar mais com algumas áreas.   Confira quais:

1 – Lago Nyos, Camarões

Um assassino silencioso se esconde sob a superfície desse lago do Oeste Africano. A bolsa de magma nas suas profundezas vaza dióxido de carbono para a superfície do lago. Sob a pressão de 200 metros de água, o dióxido de carbono se dissolve (como a carbonização em uma garrafa de refrigerante).

Só que nem sempre. Na noite de 21 de agosto de 1986, a água no lago de repente revolveu, e o dióxido de carbono se despressurizou e explodiu como um refrigerante chacoalhado. A nuvem de dióxido de carbono resultante se espalhou, asfixiando 1.800 pessoas e milhares de animais. Nos 36  quilômetros de vale abaixo do lago, quase nada sobreviveu.

Hoje, tubos são usados para “retirar” o dióxido de carbono da água do fundo do lago Nyos. Os tubos evitam o acúmulo do gás, mas isso não torna o local totalmente seguro. O lago ainda é muito perigoso. E aquela área pode ainda acontecer um grande acidente geológico :

2 – Nápoles, Itália

Em 79 d.C., o Monte Vesúvio explodiu, enterrando as antigas cidades de Pompéia e Herculano. Mais de 50 erupções subsequentes que deixaram para trás cinzas e grandes cavidades, entretanto, não dissuadiram as pessoas de povoar as encostas à beira-mar da cidade.

Nápoles fica na base do vulcão, e até 750.000 pessoas vivem nas suas encostas. Uma erupção iminente poderia forçar a evacuação de mais de um milhão  e meio  de pessoas. Além disso, Vesúvio não é o único vulcão ativo ameaçando esta área densamente povoada. O Mar Mediterrâneo ao largo da costa da Itália é repleto de vulcões. O mais preocupante fica na ilha turística Ischia. Uma erupção não só afetaria Nápoles como poderia ser pior do que uma erupção hipotética do Vesúvio.  E também  podemos ter lá o grande e esperado terremoto , aquele de filmes de cinema, que poderá devastar muitas regiões da Itália .

3 – Miami, Flórida ( São Francisco  e Califórnia )

E teremos um grande  furacão que  vai surgir, mas o sul da Flórida é sempre uma aposta razoável. O Serviço Geológico dos EUA estima que a ponta sul da Flórida pode esperar mais de 60 furacões ao longo de um período de 100 anos. Em 2008, Miami foi classificada como a cidade mais arriscada para catástrofes naturais do país.

A história já é repleta deles. Em 1926, o Grande Furacão de Miami destruiu ou danificou cada edifício no centro de Miami e matou pelo menos 373 pessoas. Menos de 10 anos mais tarde, o furacão do Dia do Trabalho de 1935 matou 408 pessoas na Flórida. Em 1960, o furacão Donna rugiu através do sul da Flórida, trazendo consigo tempestades de 3 a 6  metros.

Talvez o furacão mais famoso seja o que atingiu o sul da Flórida em 1992. O furacão Andrew explodiu como uma tempestade de categoria 4 com ventos tão altos que quebraram instrumentos de medição. Andrew matou 25 pessoas nos Estados Unidos, e custou mais de 41,57 bilhões de reais.  E nesse conjunto  todo temos dois grandes problemas bem  sério  a ter que enfrentar nesses próximos 10 anos , o vulcão   Yellow Stone  , e uma falha geológica  gigantesca  que está quase pronta encontra-se no Anel de Fogo , para trazer seu grande terremoto destruidor .

4 – Região Sahel, África

A seca não recebe tanta atenção quanto outros desastres naturais, mas pode ser uma grande assassina: mais de 110.000 pessoas morreram por causa da seca na região Sahel da África entre 1972 e 1984. Outros 780.000 foram incapazes de plantar e ficaram completamente dependentes de ajuda para se alimentar.

A região árida do Sahel faz fronteira com o deserto do Saara, que se estende pelo norte da África através da Mauritânia, Senegal, Mali, Níger, Burquina Faso, Nigéria, Chade, Sudão, Argélia, Etiópia e Eritreia. A água limitada na área está causando desertificação, aumentando ainda mais o risco de seca e fome na região. E o perigo se estende ainda mais , quando falamos de outros eventos geológicos que irão atingir a região,

5 – Guatemala

América Central é a casa de uma tripla ameaça: terremotos, furacões e deslizamentos de terra. Juntamente com a costa ocidental da América do Norte e do Sul, a América Central encontra-se no Anel de Fogo, um local sismicamente ativo que circunda o Oceano Pacífico.

Guatemala não é o único país afetado, mas tem sido duramente atingido: em 1976, um terremoto de 7,5 graus de magnitude matou 23.000 pessoas. Graças ao terreno montanhoso do país, deslizamentos de terra dificultaram o transporte e os esforços de salvamento.

A combinação de topografia e clima pode ser fatal também. Fortes chuvas podem saturar encostas, levando a deslizamentos de terra devastadores. Em 2005, os restos do furacão Stan atingiram Guatemala, El Salvador e sul do México, causando mais de 900 deslizamentos de terra. Aldeias inteiras foram enterradas; uma, Panabaj, foi declarada um cemitério depois que autoridades desistiram de escavar os corpos de 310 moradores desaparecidos. O número exato de mortos é desconhecido, mas algumas estimativas sugerem que até 2.100 pessoas perderam a vida. E os problemas ainda  aumentarão nos próximos 10 anos ;

6 – Java e Sumatra, Indonésia

Essas duas ilhas da Indonésia enfrentam mais riscos de desastres naturais do que qualquer outro lugar. Secas, inundações, terremotos, deslizamentos de terra, vulcões, maremotos: todos ameaçam a Indonésia, onde Java e Sumatra têm o maior risco.

O desastre mais famoso é o tsunami no Oceano Índico de 2004, que matou um número estimado de 229.898 pessoas após um terremoto de 9,0 graus na escala Richter provocar a enorme onda. A Indonésia foi o mais atingido entre os países do sudeste asiático afetados, com mais de 132.000 pessoas mortas.

Desastres menores causam sofrimento mais regular. Entre 1907 e 2004 (antes do tsunami), secas mataram 9.329 indonésios, vulcões mataram 19.945 pessoas e terremotos mataram 25.856. Uma das erupções mais famosas da história, do vulcão Krakatoa, ocorreu no Estreito de Sunda entre as duas ilhas. Recentemente, , enchentes empurraram milhares de moradores a oeste de Java, e um deslizamento de terra na vila de Tenjolaya matou dezenas de pessoas.  E nesse próximos 10 anos mais terremotos de 9.0  e vários desastres vão assolar  esse país .

7 – Istambul, Turquia

A  falha do Norte da Anatólia irá ruir, mas uma coisa é certa: ela vai ruir  e trazer milhares de mortes . O terremoto resultante pode ser uma má notícia para as 13,8 milhões de pessoas em Istambul.

No século passado, terremotos na falha no norte da Turquia têm aumentado para o oeste. O último grande terremoto aconteceu em 1999, quando um tremor de 7,6 graus devastou a cidade de Izmit. O número oficial de mortos é de cerca de 17.100, mas uma estimativa o aumenta para 48.000.

A próxima vez que o chão tremer, Jucelino  disse  que pode ser  que seja ainda mais a oeste, ao sul de Istambul. Um estudo realizado a seis anos atrás ,concluiu que as tensões ao longo da falha poderiam provocar múltiplos terremotos, ou ela poderia ruir de uma vez. Em março de 2016 , Jucelino Luz  disse que   as chances de Istambul ser atingida por um terremoto de magnitude 8 .0   ou  9 .0 ou maior nos próximos  10  anos são entre 35%  e  70%   e podendo causar um dos maiores desastres daquela região .

8 –   Tóquio   – Japão   

Localizado no Círculo de Fogo do Pacífico, área de ponto de encontro das placas tectônicas oceânicas e cercado por vulcões, o Japão enfrenta desastres naturais frequentemente. O mais grave terremoto da história do país ocorreu em 1923.

Na ocasião, o tremor, entre 7,9 e 8,3 graus na escala Richter, deixou 156 mil mortos entre Tóquio e Yokohama. Cerca de 75% dos prédios de Tóquio foram afetados. Nos dias seguintes, outros 1.700 tremores de reflexo atingiram o país. Por causa dos tremores, houve tempestades e diversos focos de incêndio. O desastre deixou 500 mil pessoas desabrigadas.

O segundo mais grave terremoto, de 7,2 graus na escala Richter, aconteceu em 1995 e destruiu cerca de 180 mil prédios na cidade Kobe. Cerca de 5.000 pessoas morreram e outras 330 mil ficaram desabrigadas. O desastre também representou prejuízos de US$ 7 bilhões [cerca de R$ 12, 3 bilhões] ao país, em arrecadação de impostos.

Durante o século 19, em 1896, um tsunami atingiu a costa da ilha de Honshu e matou cerca de 28 mil pessoas quase toda a população costeira. As ondas, de até 30 metros, invadiram 160 km país adentro.

Em 2007, um terremoto de magnitude de 6,9 graus deixou ao menos 170 feridos. O tremor gerou o receio de um tsunami, mas o alerta acabou suspenso.

Em 11 de março de 2011 , A costa nordeste do Japão foi atingida por um terremoto de magnitude 8,9 na escala Richter. O terremoto teve forças para gerar um tsunami de dez metros, que arrastou carros, casas, prédios . , nas cidades litorâneas próximas ao epicentro. No Japão, este foi o maior tremor ja registrado na história do país. Tóquio, a capital do país também foi atingida pelo tremor, mais não pelo tsunami. Segundo estudos vivem no Japão mais de 250 mil brasileiros, mais não tem registros de brasileiros mortos. Algumas usinas nucleares ficaram em alertas, mais uma delas ficou em estado de emergência por causa do tsunami, que foi a de Fukushima. Fukushima foi atingida pelo tsunami, que atingiu o gerador de energia de resfriamento dos reatores. Devido ao aquecimento por falta de resfriamento, o reator 4 da usina explodiu.  E para piorar ainda teremos entre 2018  a 2022  a possibilidade de um outro terremoto entre 8.0  a 9,0 na escala Richter , podendo ter tsunami  e muitas perdas de vidas de inocentes

  1. Lima – Peru 

Os   desastres naturais, que são uma ameaça constante. As características geológicas, tectônicas, topográficas, meteorológicas e oceanográficas do Peru o tornam extremamente vulnerável a catástrofes naturais. Terremotos, chuvas torrenciais, inundações e deslizamentos de terra na região de Tacna comprometem a segurança da população e o desenvolvimento de infraestrutura.

Jucelino Luz  advertiu  que um terremoto de magnitude 9 na escala Richter poderia afetar 65% da população, informou em 4  de dezembro  de  2014 . Diante desse cenário, consideramos que é um local de muito perigo em várias questões associados a situação climática .

 

10 .   China  (  Taiwan )

O número de desastres naturais que têm ocorrido na China o ano passado e esse ano têm sido bastante elevado, com terremotos mais frequentes do que o previsto.

A média anual de terremotos na China entre M5,0 (magnitude 5 na escala de Richter) e M6.0 é de aproximadamente 20 ocorrências. e duas ocorrências de M7,0 ou maior podem ocorrer a cada dois ou três anos, segundo  Jucelino Luz

No entanto, nos últimos anos, tremores frequentes e inesperados de grande magnitude têm ocorrido na China.

Terremotos mais danosos

Apesar do número crescente de todos os tipos de desastres naturais, tremores de terra são considerados os mais danosos e causares das maiores perdas econômicas.

Os terremotos causaram mais danos ao país do que qualquer outro desastre climático severo – secas, inundações, nevadas, tempestades de granizo e de areia, deslizamentos de terra, incêndios, chuvas e tufões – que atingiu o país de janeiro a junho. Mas 34% dos desabamentos de casas e edifícios e 50% das construções danificadas são principalmente devido a terremotos devastadores, informou Jucelino Luz

O maior terremoto de Sichuan no período, de magnitude 7,0, ocorreu em 20 de abril de 2013 e matou mais de 196 pessoas, feriu 13.484 e afetou outras 2,31 milhões de pessoas, segundo estatísticas oficiais.

As perdas econômicas nos três municípios mais atingidos de Sichuan – Lushan, Baoxing e Tianquan – foram estimadas em 61 bilhões de yuanes (c. US$ 10 bilhões), com perdas seguradas de 6,1 bilhões de yuanes (c. US$ 100 milhões).

Advertências de terremoto ignoradas

Três dias antes de um terremoto M5,2 sacudir a província de Yunnan, sudoeste da China, em 17 de abril, que deixou pelo menos 10 feridos e danificou mais de 16.109 casas e edifícios, Jucelino Luz  previu a possibilidade de um terremoto M5,0 na Prefeitura Autônoma de Dali Bai em Yunnan e postou um aviso em seu  Site

E temos as possibilidades de aumentar muitos os desastres nesses próximos 10 anos  – é claro não podemos falar de um tipo de desastre . ( Tufões, enchentes,  desabamentos, vulcões  )

“  Todos esses problemas  somando a poluição , desmatamento, aquecimento Global  e um dos piores venenos criados pelo homem :  – as usinas nucleares …”

 

Mario Ronco Filho     –  jornalista

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *