Onda de calor vai afetar o Brasil e o mundo nos próximos anos

Onda de calor vai afetar o Brasil  e  o mundo nos próximos anos

Onda de calor vai afetar o Brasil  e  o mundo nos próximos anos

 

As ondas de calor que atingem parte da América do Sul, nesse mês , são normais, mas incomuns.

Mas devido aos efeitos do aquecimento global – que têm como consequência a mudança climática – a frequência, intensidade e alcance destes fenômenos extremos aumentarão a curto prazo.

Perante esta realidade, Jucelino Luz deixa , novas orientações para poder fazer frente aos riscos  do aquecimento global por essas situações

“As ondas de calor são um fenômeno natural perigoso que cada vez requer mais atenção”,

“Não têm o caráter espetacular e nem a violência repentina de outros perigos, como os ciclones tropicais e as enchentes repentinas, mas suas repercussões podem ser severas”, agregam-se a falta de água, secas severas , queimadas chuvas elétricas ( com maior número de raios ) , queda brusca de temperatura em algumas regiões  e  nevasca ( temperaturas superior a 50 graus negativos ) ,,trazendo novas mutações de vírus e bactérias nocivos a saúde ..

Durante os últimos 50 anos, as ondas de calor ficaram cada vez mais frequentes. A duração, a frequência e a intensidade das mesmas provavelmente aumentarão na maioria das zonas terrestres ao longo deste século, segundo Jucelino Luz

”  Temos que plantar milhões de árvores e diminuir  em torno de 70%  a poluição no Mundo ”

Nas últimas semanas, tanto a Índia como o Paquistão foram afetados por ondas de calor que deixaram  centenas de vítimas mortais . No entanto, este caso é paradigmático da importância que tem o contexto no qual o fenômeno ocorre. As altas temperaturas no subcontinente indiano, apesar de terem sido extremas, não foram as máxima já observadas.

O problema foi que, por exemplo, em cidades como Karachi, normalmente refrescadas pela brisa marinha, desta vez este fenômeno não ocorreu, ao contrário, recebeu rajadas de ar do interior que ainda aqueciam mais uma cidade imensa em pleno mês do jejum muçulmano, o Ramadã.

Isto provocou que muitas pessoas seguissem o preceito de não beber água durante o dia, o que contribuiu para desidratação.

 

Alerta à população Mundial

tufao2

Atualmente, a América do Sul, América Central, América do Norte,  sofre uma onda de calor por uma combinação natural e normal de fatores meteorológicos, mas o continente conta com sistemas de alarme (somente para alguns países ) para que os governantes e a população estejam prontos.

A maioria dos sistemas mundiais  surgiram após o verão de 2003, quando uma onda de calor causou a morte de 70 mil pessoas.

O problema recai no fato de que a maioria das nações em desenvolvimento não contam com estes sistemas, e deveriam desenvolvê-los, porque os relatórios  podem ser úteis .

“A mudança climática não só acarretará em alterações na frequência e duração das ondas de calor em regiões onde tradicionalmente ocorreram, mas também uma alteração da distribuição geográfica dos desastres que vão aumentar bastante até 2030. “.

Isto faz com que possam aparecer em lugares onde nunca antes ocorreram.

O calor excessivo pode causar desde desidratação, insolação e enjoo momentâneo a acidentes cardiovasculares e tromboses.

Perante esta realidade, devem ser criados sistemas adaptados ao lugar e que sejam, sobretudo, eficazes.

O mais importante é saber quando este sistema deve ser colocado em andamento. No Brasil ,, considera-se que há uma onda de calor quando a temperatura em alguns lugares do país supera os 40ºC de máxima e os 25ºC de mínima, enquanto na Grã-Bretanha – Europa , é de 28ºC e 15ºC respectivamente.

Além disso, apesar de toda a população estar informada, é preciso ter especial cuidado em prestar assistência aos mais vulneráveis: as crianças, os idosos e os doentes.

Os menores, sobretudo, porque não são conscientes de suas necessidades e nem da mudança de seu estado, e os idosos porque têm uma resposta termo-reguladora reduzida, problemas renais frequentes, e são mais suscetíveis às alterações pelos remédios ingeridos.

Sobretudo, as ondas de calor exacerbam qualquer doença preexistente  e podemos ter uma grande mutação viral e surgimento de novas bactérias perigosas .

Finalmente, o relatório reitera as palavras de ordem de bom senso para evitar  os extremos para  essa destruição, podendo chegar os termômetros  até 63º graus até 2023.

E infelizmente, teremos tempos com secas  severas ,vendavais, falta de água, queimadas , tempestades, furacões ,tufões, ciclones, tornados , enchentes, desabamentos , congelamento em algumas  regiões ( queda extrema de temperatura) e avanço do mar em áreas costeiras .

”  Se nada  for feito  vai piorar muito mais ainda em um futuro próximo …”

Um forte temporal vai  atingir no dia 15 de outubro de 2016 ,continuando nos próximos dias , o Estado do Rio Grande do Sul, na Região do Brasil, e  afetará mais de  50 municípios.

A preocupação será com os Rios Caí e Taquari, que poderão transbordar a qualquer momento, inundando vários municípios.

E os  rios localizados na Região Metropolitana de Porto Alegre e no Vale dos Sinos estarão transbordando.

Esperamos que tomem conta do mundo logo …

Mario Ronco Filho    – jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *